MP denuncia trio por desvio de recursos para a Covid-19 na Zona da Mata

MP denuncia trio por desvio de recursos para a Covid-19 na Zona da Mata

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) ofereceu denúncia contra a ex-secretária de Saúde de Guiricema, o companheiro dela e uma empresária de Juiz de Fora, por fraude em um procedimento licitatório para aquisição de materiais destinados ao enfrentamento da Covid-19.

Em outubro do ano passado, o G1 mostrou que o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) realizou a Operação “Persona” para apurar possíveis desvios de verbas públicas em Juiz de Fora, Piraúba e Guiricema.

Na ocasião, o MPMG não informou os nomes dos envolvidos, mas segundo apuração da reportagem, tratava-se de Aurilene do Carmo Emídio, secretária da Saúde de Guiricema. Ela se encontra presa preventivamente, assim como o companheiro dela.

O G1 entrou em contato com o órgão para saber a identidade dos outros envolvidos. A reportagem também tentou localizar a defesa de Aurilene do Carmo, mas não conseguiu até a última atualização desta matéria.

Investigações continuam
Segundo o promotor de Justiça, Breno Costa da Silva Coelho, uma terceira fase dos trabalhos é realizada. O objetivo é apurar uma eventual prática dos crimes de associação criminosa, lavagem de dinheiro e prevaricação, além da participação de outras pessoas ainda não identificados na empreitada criminosa.

Outros delitos
Na segunda fase da investigação, a ex-secretária e o companheiro também responderam por pelo menos, outros 11 delitos de peculato ligados ao desvio de verbas relacionados à aquisição de máscaras, capotes cirúrgicos, termômetros digitais e produtos de higiene pessoal, além de falsificação de documento público. De acordo com o MPMG, os dois também já foram processados criminalmente por corrupção passiva, cuja pena varia de dois a 12 anos de reclusão.

Operação “Persona”
O Gaeco informou que durante as investigações foi verificado que os suspeitos “se aproveitaram de um cenário caótico gerado em decorrência da pandemia de coronavírus” para adquirir máscaras em um contexto simulado. A investigação apontou que houve indícios de desvios de mais de R$ 150 mil em verba pública.

Fonte e fotos: G1 Zona da Mata