José Henriques toma possa como novo prefeito de Cataguases 

José Henriques toma possa como novo prefeito de Cataguases 

A palavra união foi o fio condutor da cerimônia de posse dos vereadores, vice-prefeito e prefeito, ocorrida nesta manhã de sexta-feira, 1º de janeiro, na Câmara Municipal de Cataguases, e no Paço Municipal. Na primeira etapa ocorrida na sede do Legislativo, a união de duas correntes políticas venceu a disputa para a Mesa da Câmara. Desse modo, o presidente eleito é o líder comunitário, Felipe Ramos, que ao lado de seu vice, Beto do Leonardo, outra liderança popular, venceram a disputa. Logo depois, já no Paço, durante a transmissão do cargo, José Henriques, em seu discurso, conclamou a união como sendo o caminho para conseguir atender aos anseios de Cataguases.

Eleição da Mesa Diretora

A solenidade de posse começou na Câmara Municipal, pouco antes das 8h30min. Presidida pelo vereador e ainda presidente daquela Casa, vereador Ricardo Dias, ele comandou a sessão até a posse de seu sucessor. Em seu discurso de despedida, Ricardo destacou suas principais ações à frente do Legislativo, salientando a economia que fez nestes dois anos o que lhe permitiu devolver ao Executivo, mais de R$ 2,3 milhões. Ele também revelou os números de seu mandato em prestação de serviço para a comunidade e das atividades burocráticas  como proposição de projetos de lei, indicações, entre outros.

No intervalo da sessão para o registro das chapas concorrentes à Mesa Diretora, foi criada uma segunda chapa fruto de um consenso de dez parlamentares. O vereador Vinícius Machado, que pretendia disputar a presidência, e Beto do Leonardo, que também encabeçaria uma chapa, abriram mão de suas candidaturas e apoiaram o nome do estreante Felipe Ramos. A chapa vencedora recebeu dez votos, dos seguintes vereadores: Beto do Leonardo, Felipe Ramos, Flávio Motoboy, Betão do Areão, Henrique Thurran, Silvio Romero, Fernando de Sereno, Gilmar Canjica, Jeferson Freitas e Vinícius Machado. A outra chapa, capitaneada pelo vereador Marcos Costa obteve o voto dele, o de Ricardo Dias e o de Rafael Moreira. Dois vereadores se absteram de votar: Rogério Filho e Stéfany Carli.

Em entrevista exclusiva ao Site do Marcelo Lopes, Felipe Ramos, o novo presidente da Câmara Municipal de Cataguases, disse que recebe esta missão com muita responsabilidade, e que não medirá esforços no sentido de que o Legislativo cumpra com maestria suas obrigações. Ele também falou que a união será uma de seus principais prioridades nos próximos dois anos. 

Transmissão do Cargo

A segunda etapa da posse aconteceu em frente ao Paço Municipal como é tradição. A assinatura no livro foi feita no gabinete do prefeito entre o vice-prefeito Tita Lima e o novo prefeito, José Henriques, em função do prefeito que deixa o cargo, Willian Lobo, ter testado positivo para Covid-19 e está em isolamento residencial. Em seguida, José foi para um palanque montado nas escadarias do Paço onde aconteceram os pronunciamentos oficiais. O primeiro e mais contundente discurso foi o do Procurador da República e ex-prefeito Tarcísio Filho. Na largada afirmou que “o respeito volta a subir as escadas do Paço” e logo adiante deu o tom de esperança que marca esta nova administração municipal: “…a Cataguases com que sonhamos tanto na escuridão das noites como na clara luz do meio dia está, de novo, ao nosso alcance.” Depois lembrou da importância de manter a representação de Cataguases nas esferas de poder estadual e federal quando reivindicou ao povo para que eleja um deputado federal e reconduza Pacheco de novo ao cargo que hoje ocupa, completou.  

Na sequência discursaram o deputado estadual Fernando Pacheco, o vice-prefeito Marquinho Andrade e o prefeito José Henriques. Fernando voltou a colocar seu mandato em prol de Cataguases e disse que agora será chamado a colaborar, completando que vai fazer muito mais pelo município. “Vamos encaminhar recursos, projetos, ser a ponte com o governo de Minas e tudo o mais que pudermos fazer para ajudar Cataguases voltar a ser a cidade que nós queremos e merecemos”, destacou. O vice-prefeito Marquinhos Andrade, também voltou ao tema união. Ele lembrou que olhando a história da humanidade “cor da pele, diversidade sexual, política e religiosa, bem como a econômica, sempre foram gatilhos que dispararam guerras, mortes, abandono e segregação. É meu desejo, é nosso desejo, que esses gatilhos cessem a partir de hoje em nossa cidade. E vamos trabalhar para que cada mulher, cada homem, cada criança, jovem ou idoso, independente de sua cor, orientação sexual, classe econômica ou social, possa ter o seu lugar de fala assegurado, conquistado e disponível”, afirmou.

José Henriques pregou a justiça, a união e a seriedade para a construção de uma nova Cataguases. E confirmou a esperança nele depositada afirmando que “agora é hora de reacender as luzes, de reaquecer a noite; é hora do povo voltar, orgulhoso e perseverante, e assumir seu lugar. Firmo então o compromisso com a população de Cataguases e pretendo honrá-lo. Essa é a nossa responsabilidade. É tempo de recomeçar”, afirmou. Sobre como pretende fazer isso, José disse que é seu dever “caminhar para frente com a certeza de que construíremos juntos uma nova identidade, a identidade do nosso tempo”, apesar da situação preocupante que encontra-se a prefeitura,  com dívidas que vão exigir maior esforço desta administração no sentido de equalizar seu pagamento e o investimento no município, ponderou. Por fim, falou em união, ao afirmar: “Não pretendo governar sozinho e esse é um momento que pede, mais do que nunca, união. Um bom administrador não se isola e não se deixa abandonar à própria sorte. (…) deixemos de lado interesses pessoais. Lembrem-se que somos todos servidores públicos e de que estamos aqui não para nos servir, mas sim para cumprir o dever”, completou. 

Veja fotos da posse.